segunda-feira, 24 de maio de 2010
















Foi estranho.
"Quando aconteceu ela passou algumas horas depois pensando se aconteceria novamente, e ela desejou muito que acontecesse. Dentro dela nascia uma vontade que jamais havia sentido antes. Quando terminaram foi como se ela tivesse acabado de sair de uma montanha russa. A sua respiração estava pesada, as suas pernas estavam sem força e se ela precisasse se levantar não se manteria erguida. Seu coração batia muito rápido e até chegou a pensar que morreria ali, debaixo daquele lençól, após ter vivenciado a melhor experiência de sua vida. E ela não se importaria se acontecesse.
No outro dia ela ligou pra ele bem cedinho.
- E então como vamos ficar? ( Ela estava extremamente feliz.)
- Como assim? ( Ele fingiu não entender.)
- Assim, eu e você, vamos ficar juntos? ( Ela não queria acreditar e não podia, como ele não entendia o que ela queria dizer. Lágrimas começaram a jorrar de seus olhos.)
- Não, melhor não. Você é muito nova.
Ela simplesmente não queria acreditar no que acabara de ouvir, forçou a voz para que ele não percebesse a sua tristeza e disse adeus. A infelicidade dela era tão grande que junto aos seus gemidos vinham soluços.

A verdade é que ela nunca o esqueceu e muito menos conseguiu superar a rejeição. Ligou e ligou muitas vezes para ele, e ele nunca a atendeu. Apesar disso ela montou um jardim no quintal de sua casa, cultivou muitas flores, de todos os tipos e cores, e deu ao o jardim o nome dele."

Nenhum comentário:

Postar um comentário